segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Tempo de sorrir.






Veio o tempo de abraçar-te
Foi breve, mas gravou cicatrizes profundas.


Vivemos tempo de afastar-nos, de esperar, de sonhar com o reencontro.
Aproveito essa distancia para amá-lo do meu jeito.
Aproveito para buscar o melhor de mim,
Para aperfeiçoar-me, purificar-me na dor,
Doar-me sem quantia e sem medida.




Sei claro que sei que haverá aborrecimentos.
Que bom!
 Detesto  a certeza de que tudo pode ser para sempre ou nunca mais.




A sua presença é  para mim tempo de receber  gotas de paz,
Doses maciças de felicidade e sonho...
E sua ausência e a distancia meu tempo de guerra e solidão.


Nesse universo gigantesco, haverá tempo para nós.
Nessa vida agrilhoada por tanta repressão haverá tempo para vivermos o amor que temos.




E neste tempo, juntos,
Esqueceremos esse tempo de sofrer,
Tempo escuro, tempo de pranto.
E o sol iluminará nosso tempo de amar.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget