segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Tempo de sorrir.






Veio o tempo de abraçar-te
Foi breve, mas gravou cicatrizes profundas.


Vivemos tempo de afastar-nos, de esperar, de sonhar com o reencontro.
Aproveito essa distancia para amá-lo do meu jeito.
Aproveito para buscar o melhor de mim,
Para aperfeiçoar-me, purificar-me na dor,
Doar-me sem quantia e sem medida.




Sei claro que sei que haverá aborrecimentos.
Que bom!
 Detesto  a certeza de que tudo pode ser para sempre ou nunca mais.




A sua presença é  para mim tempo de receber  gotas de paz,
Doses maciças de felicidade e sonho...
E sua ausência e a distancia meu tempo de guerra e solidão.


Nesse universo gigantesco, haverá tempo para nós.
Nessa vida agrilhoada por tanta repressão haverá tempo para vivermos o amor que temos.




E neste tempo, juntos,
Esqueceremos esse tempo de sofrer,
Tempo escuro, tempo de pranto.
E o sol iluminará nosso tempo de amar.



Feliz aniversário, meu amor!








É o seu aniversário...
Como quis poder cantar pra você a canção antiga.
É a comemoração da vida!
É dia de vitória, e outra vez não posso ir ao seu encontro.


Seu aniversario não é apenas um marco no calendário,
Pra mim é a própria seiva da vida,
Escorrida entre meus dedos, 
Exalando, evaporando se longe de mim.

Como sinto ciúme disso tudo!
Como sinto raiva! Como sinto nojo!
Como sinto inveja das pessoas ao seu lado!
Sinto tanto, meu amor!

Outro ano de duras batalhas,
Outro ano de solidão se arrastou lentamente,
Outro ano de trabalho,
Outro ano de vida longe de seu calor.

Tudo passa menos essa dor de amar.
Tudo é vitória, menos essa triste solidão.
Parabéns para você,
Parabéns para nós dois.
Vencemos mais um ano de espera.
Ocorreu um erro neste gadget