terça-feira, 7 de julho de 2009

Vida sem vida



A chuva fina molha a terra seca,

Os tímidos brotos verdes começam surgir devagar.

Renova se a vida lá fora...

Renasce a natureza.

As lagrimas também molham minha face,

Os meus sentidos estão alerta.

Renova se a dor em meu peito abatido de dor.

Renasce a angustia de não estar com você.

O vento sopra suave,

As pequenas folhas balançam-se em seu ritmo,

Renov- se a vontade que sinto de ser sua.

Renasce o desejo de sermos um.

A vida recomeça...

E a morte ronda meus passos.

Renova-se a força da natureza,

Selando nosso triste destino.

Estamos juntos mesmo distantes,

Sofremos por nos amar em segredo.

É triste desejar com toda força de nossos corações a oportunidade de caminharmos juntos.

2 comentários:

  1. Eita... que crise existencial hein...rsrs. Muito boa a poesia. meu amigo também escreveu uma, se kiser, tá em

    osabernuncaedemais.blogspot.com

    procure no mes de junho. o post se xama 'voce tem medo?'

    abraços

    ResponderExcluir
  2. Oi, Júlio, obrigada por comentar.
    Bjux e sucesso!

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget