terça-feira, 7 de julho de 2009

Minha vida




De repente me vejo diante de uma escada
posso subir e encontrar novos desafios...
Posso descer e desistir de tudo que caminhei até aqui.
Posso ficar parada neste mesmo degrau e desistir de sonhar.

Mas, quem sou eu se não meu sonhos?
Quem sou eu se me faltar o amor?
O que será de mim de desistir de seus beijos ardentes?

É preciso ariscar!
Viver é um grande desafio...
Eu me arisco sempre.
Não consigo ficar a beira do abismo:
eu me lanço por inteira,
mergulho de cabeça
mesmo que me arrependa depois.

Como se arrepender do que ficou ?
Como chorar pelo que não viveu?

Ah, eu prefiro sempre me arrepender do que fiz,
dos meus erros,
das minhas insanidades,
dos meus impulsos,
do que do meu marasmo e da minha apatia diante da vida.

Eu sou essa mulher ousada e destemida,
sonhadora e autêntica.
Sou essa mulher que ama e morre de amor,
sou plena e tenho asas abertas para a vida,
para os voos mais altos.

E por ser assim é que te amo tanto,
por não esperar nada em troca,
por não precisar de recíproca em seu coração,
ninguém pode roubar de mim esse amor,
eu sinto,
eu amo,
então é real
e me basta!

2 comentários:

  1. Belas palavras!!!
    A poesia é sempre um atrativo a mais para quem, assim como eu, gosta de escrever também!

    ResponderExcluir
  2. SEJA BEM VINDA, QUERIDA!
    bJUX E SUCESSO!

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget