quarta-feira, 22 de julho de 2009

Em ti...



Descanso em ti
num súdito passado
alheio às lembranças
fluentes do porvir,
preposto ao pecado
indutor às certezas
redentoras do convir.

Excede o pensamento
refugiado no seblante
corrosivo no lamento
aparatado a virtude
coesa do quebranto,
refutado no sorrir,
profundo e inocente
à verdade alusiva.

Presuposto almejo
de candura e amor,
afável ao desejo,
tutela veraz
quebranto qual encanto
fecundo primaz
lenitivo sedutor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget