quarta-feira, 22 de julho de 2009

Como nasce um poema de amor?




Do sentimento,

do amor proibido,

do amor sentido,

do amor ardente,

da impotencia,

Da dor,

São
Palavras nascidas


Das profundezas do eu .

Da obscuridade do ser


Em contraste com o brilho da Lua.

São

Palavras com suave aroma de cio


De suaves imagens guardadas


No coração.

São
Palavras que brotam vindas do nada

Num dia de Sol ou de chuva,

num dia quente ou frio,

puras como as ondas do mar.


Nascem doces

Chegam

De mansinho.


Ah! Inspiração !

Que invade o meu coração


De palavras dançantes.


Todas elas


tão doces e tão


De mansinho.

Palavras de dor são estas


Infelizes, mas, bem vindas
Marcam uma realidade.

Devo seguir em frente
Enfrentar este caminho que se abre

Um desvio da felicidade

Porem, um atalho para a paz


Talvez para um futuro

Mais fácil

Contudo…


Espero


Desejo


Que tudo melhore


E que as palavras jamais me abandonem


Minhas eternas confidentes.

Meus versos proibidos

de um amor jamis sonhado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget