segunda-feira, 22 de junho de 2009

Solidão




Não sei por que o frio percorre meu eu,
Sinto que não é um vazio,
É apenas uma vontade imbecil:
- Ser feliz e sonhar.

Me solto inteira em busca do sonho,
Num lance inédito, vôo...
E rumo ao infinito
Vejo o cosmo e bebo o mar.

Na ilusão de viver meus sonhos,
Saio à procura da felicidade.
Ando por todos os lugares
E a encontro sempre dentro de mim.

Não corro; apenas assisto
A vida que passa na minha janela,
O homem, o menino, o cão,
A chuva, o vento e o nada.

A cada hora perdida um sonho se apaga.
E na luz que emana deles,
Acordo com a impressão de não viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget