terça-feira, 23 de junho de 2009

Dor




Estou sozinha, presa dentro da tristeza.
Sinto uma mistura de sentimentos,
Mas, sem dúvida predomina a dor.
É dilacerante, fere e rasga meu coração.

Já não estou segura, parece que me falta o chão,
Olho as pessoas a minha volta,
Todas me parecem tão iguais, tão comuns,
Presas em seus “pré – conceitos”,
E em suas falsas virtudes.

Procuro em vão aquecer meu coração solitário,
A sua ausência é a arma que me fere.
O seu beijo, a doença que não tem cura.
A lembrança de seu abraço, a única razão para estar viva.

Nos olhos, no sorriso e no coração,
Estampados estão à dor que sinto em mim.

Nada dói mais do que ver a vida passar em minha vida;
Nada é mais cruel do que amar e não poder possuir;
Nada é pior do que fingir que meu coração não percebe o descompasso que causa no seu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget