segunda-feira, 22 de junho de 2009

Amar




Para falar de amor é preciso amar:
Amar a todos que passaram,
Amar a todos que ficaram,
Amar quem está por vir.

O amor não é passageiro,
Ele nunca há de passar.
Às vezes por sofrer,
O amor apenas se torna indiferente.

Então, a dor que vem desse amor,
Torna se amena, branda, suave.
Mas, o amor continua existir,
Lá no fundo, em segredo.

E por mais que cicatrize,
Vez por outra ela lateja,
Traz à tona as lembranças
E apunhala o coração desavisado.

Por átimos pensamos estar livres,
Mas o amor nos faz prisioneiros,
Está agrilhoado no coração
E um dia ele acorda e ruge.

3 comentários:

  1. Xenia, interessante o que vc diz, porque o amor algumas vezes está vivo, embora coloquemos num canto, como esquecido, na verdade, está adormecido. Linda foto! Bjs

    ResponderExcluir
  2. Obriga, amiga. seja bem vinda aqui!
    jux

    ResponderExcluir
  3. Lindo poema, amiga! O amor nunca morre!

    Beijos,

    André

    ResponderExcluir

Ocorreu um erro neste gadget